quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Palavras para o tempo.

Ontem eu disse pala ela que sentia saudades, e ela me abraçou; então eu chorei. Fui para aquela árvore em que eu costumava brincar, para tentar me conformar. Foi difícil parar de chorar, parar de me culpar, mas ninguém tem culpa quando falamos da morte. Não vou tentar te esquecer, nem esquecer o que você foi pra mim. Eu não me canso de brincar no passado, naquelas tardes de sol, onde o mundo era bonito e todos eram felizes. Eu não tinha medos, porque não sabia que um dia você podia ir embora, e nunca mais voltar. E hoje eu criei coragem, de gritar para todos que eu me apaixonei pelo tempo, mesmo você não estando aqui eu estou feliz, pois um dia você já esteve.

Sem comentários:

Publicar um comentário